Boa madrugada!

Carregando informações

Velejando e aprendendo

Encerrada a fase de competições da dupla Lars Grael / Samuel Gonçalves nos EUA

#

Ontem dia 09/03 terminou nossa fase de competições de Vela na classe Star nos EUA.

Competindo com meu proeiro Samuel Gonçalves (atleta da Marinha do Brasil), participamos da temporada do "Star Winter Series" em Miami.

A primeira competição foi a Zagarino Masters que foi cancelada por dias de absoluta falta de vento. Na sequência, meu filho Nick Pellicano Grael competiu com Samuel o Campeonato Mundial de Star Junior (sub-30) e obtiveram a expressiva 5ª colocação geral numa competição de elevado nível técnico. Nick com pouca experiência na classe Star e apenas 21 anos, competiu contra Staristas bem mais experientes.

De volta ao comando do meu Star, competimos (eu e Samuel) em nosso Star BRA-8474 Renata, a Walker Cup que após 4 regatas, ficamos na 3ª colocação geral empatados com os Vice-Campeões, a dupla dos EUA E. Doyle / P. Infelice. O título ficou com a dupla do lendário velejador americano Paul Cayard e com o campeão olímpico Magnus Lijhedal à mísero 1 ponto de vantagem! Foi um bom resultado.

No Midwinters, fomos para o último dia de regatas empatados na liderança com a dupla E. Doyle / P. Infelice e há um ponto de vantagem sobre a dupla P. Cayard / M. Lijhedal quando repentinamente nosso estai de proa ( cabo de aço frontal que sustenta o mastro) rompeu. O material era novo, e aparentemente, foi uma falha do próprio cabo de aço num dia de fortes ventos... . Perdemos as 2 regatas do dia e demos adeus à disputa pelo título.

Bacardi Cup - Trata-se de um dos mais tradicionais campeonatos da Vela internacional e uma das mais longevas parcerias esportivas com uma empresa privada. A copa começou em Havana / Cuba promovida pela tradicional marca de Rum Bacardi. Mudou-se para Miami após a revolução de Fidel, e conta com uma tradição de 92 anos. Muitos consideram a Bacardi Cup, como a mais importante competição da centenária classe Star, além do Campeonato Mundial.

Fizemos uma opção de acerto de mastro e velas que infelizmente mostrou ser equivocada e nunca estivemos à altura dos melhores em cada uma das 6 regatas disputadas. Ao final, ficamos na modesta 9ª colocação geral entre 64 barcos de velejadores de 23 países. Boas largadas e velocidade insuficiente nos posicionaram com 5º ; 13º ; 12º ; 11º ; 8º ; 8º respectivamente. Pouco se consideramos que vencemos a Bacardi Cup em 2014 e 2015; Vice em 2013 e a 4ª colocação geral nas edições de 2017 e 2018. Entre os 10 primeiros lugares, 7 timoneiros eram campeões mundiais, o que mostra o altíssimo nível da competição.

O título ficou merecidamente com a tripulação do campeão mundial Eric Doyle e seu proeiro Paison Infelice. Na 2ª colocação, o campeão olímpico Mateusz Kusznierewicz / Frithjof Kleen. Na 3ª colocação, os campeões mundiais de 2017, Eivind Melleby / Josh Revkin. O melhor brasileiro na competição foi o medalhista olímpico e Tetra-Campeão Mundial Bruno Prada que compete como proeiro do americano Augie Diaz. Ficaram na 6a colocação geral.

Destaque ainda para o Vice-Campeão Mundial Marcelo Fuchs que em dupla com Pedro (Bolder) Trouche conquistaram a 10ª colocação geral. Alessandro (Dino) Pascolato com Henry Boennig conquistaram o troféu na categoria "Exalted Grand Master" e a 22ª colocação na classificação geral. O ministro do TSE e velejador Admar Gonzaga com Alexandre Freitas ficaram na 28ª colocação geral. Outra dupla brasileira dos paulistas Fabio Prada / Cristiano Ruschmann ficaram na 39ª colocação.

É o encanto do esporte da Vela. O eterno aprendizado. Velejando e aprendendo...